Dia Internacional da Mulher e Menina na Ciência.

A igualdade de direitos entre homens e mulheres na ciência são essenciais para o desenvolvimento de um país e em última análise da humanidade. A maneira como lidaremos com alguns dos maiores desafios da humanidade depende do aproveitamento de todos os talentos, isto significa fazer com que mais mulheres trabalhem nas áreas da ciência. Assim, a igualdade de direitos entre homens e mulheres deve ser considerada um meio fundamental para promover a excelência científica e tecnológica.

De acordo com a UNESCO a igualdade de direitos entre homens e mulheres deve ser promovida pelos sistemas educativos a todos os seus níveis, desde a pré-escola até à educação superior e em todas as áreas de intervenção e na formação de professores.

De acordo com o Jornal Expresso de hoje, Portugal é o país do mundo com maior percentagem de mulheres em cursos de ciências, matemáticas e computação. Apesar do número de mulheres doutoradas ser superior ao dos homens e há três décadas que se contam mais licenciadas do que licenciados, continua a haver mais homens na ciência do que mulheres quando falamos do sistema privado, situação diferente é verificada quando o patrão é o estado, onde as mulheres ocupam, em termos gerais, igual número de lugares.

Promover a igualdade da participação de mulheres na ciência requer uma mudança de atitude: as meninas precisam de acreditar em si como cientistas, matemáticas, engenheiras e inventoras...

Os Trabalhadores Não Docentes nas escolas e agrupamentos procuram criar as condições necessárias para que estas crianças e jovens possam crescer e colocar o seu talento ao serviço do país e da humanidade.

O STAAEZN felicita todas as mulheres e meninas!

O Dia Internacional da Mulher e Menina na Ciência é celebrado anualmente a 11 de fevereiro.

Área de comunicação do STAAEZN